Total de visualizações de página

domingo, 1 de julho de 2012

Vivendo bem


15 Dicas para viver uma vida mais
consciente, plena e equilibrada: 


1. Todos nós ao nascer, ganhamos um espelho. Este espelho é, então, colado no nosso peito. E assim vivemos toda a nossa vida, refletindo o outro e vendo no (espelho do) outro o nosso reflexo. Hermann Hesse disse : “ Se você odeia uma pessoa, odeia algo nela que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos incomoda.”
Viver considerando isto, vai desenvolvendo nossa compaixão, nossa tolerância, nossa empatia e nossa solidariedade para com as nossas fraquezas e dificuldades e as dos outros.

2. Cem por cento do que somos e vivemos (inclusive o que supomos ser acidentes) é fruto de nossas escolhas e opções. Conscientes ou inconscientes. Desta ou de outras vidas.
Viver consciente disto desenvolve nosso discernimento e nossa responsabilidade para com a vida, com as pessoas e com nossas atitudes.

3. Livre-se da culpa. A única função da culpa é manter sua auto-estima baixa (por isso algumas religiões fomentam a idéia da culpa para assim manter poder). Transmute a culpa por responsabilidade. Ninguém é culpado de absolutamente nada, mas todos são completamente responsáveis por tudo.
Viver assim te torna mais atento e cuidadoso para com toda a existência.

4. Desenvolva a aceitação. Sempre que entramos em contato com alguma dificuldade ou fraqueza nossa, através de alguém ou de alguma circunstância, normalmente o primeiro impulso da mente/ego é: ou nos defendemos, negando e resistindo a entrar em contato (muitas vezes entrando na irritação e na revolta, geralmente imputando a culpa a alguém ou a alguma coisa), ou entramos na condição de vítimas, mergulhando na baixa auto-estima.
Aceite sua natureza humana como ela é e aceite também a sua sombra. Entenda que você está aqui na Terra para aprender e expandir sua existência. Um Mestre hindu falou: “Errar, ter defeitos, falhas, fraquezas, é seu direito. Trabalhar para transmutar isso tudo é seu dever”.

5. Tudo no Universo tem duas polaridades : yin/yang, masculino/feminino, positivo/negativo, etc. As emoções e os sentimentos também tem duas polaridades: o outro lado da tristeza é a alegria, do medo é a coragem, da raiva é a energia de realização, do ódio é o amor e o perdão, da ansiedade e da angústia é a calma e o centramento, da baixa auto-estima é a confiança em si mesmo, enfim, nosso grande trabalho de transmutação é estar constantemente reequilibrando estas polaridades. Os hindus diriam que devemos estar sempre transmutando Tamas e Rajas em Sattwa, isto é, trazendo sempre os pensamentos, sentimentos e atos densos , limitadores e negativos, para as freqüências mais sutis.
Viver assim economiza um bocado de energia. Considerando que tudo na vida é passageiro, é mais inteligente procurar mudar a polaridade das coisas e dar a volta por cima do que ficar naufragando constantemente nos mesmos padrões psico-emocionais.

6. Desenvolva a neutralidade e a observação. Os índios chamam isto de “visão da águia”: sair voando de dentro do burburinho dos eventos e, de cima, com uma perspectiva ampla, observar os acontecimentos sem identificação ou julgamentos. Ou, em outro exemplo: sair de dentro do rio caudaloso de nossa vida - onde estamos imersos até o pescoço - sentar na margem e observar. Quando dentro do rio, imersos até o pescoço, qualquer ondinha nos parece um vagalhão, mas quando nos sentamos à beira do rio, a ondinha novamente vira ondinha, e aí podemos ter uma perspectiva mais correta e um envolvimento menos sofrido com as coisas.
Isto desenvolve uma profunda consciência da relatividade dos pontos de vista e, por conseguinte, o redimensionamento da nossa identificação e envolvimento com a transitoriedade da vida. 

7. Evite as comparações. Lembra do “jardim do vizinho é sempre mais bonito” ? Ledo engano! Grande armadilha! Mal sabemos que o vizinho ao olhar nosso lado também pensa a mesma coisa sobre algum aspecto de nós...
Considerar este fato, te livra do peso dos julgamentos alheios e te torna mais centrado em teu próprio eixo.

8. Os hindus dizem que todas as doenças que existem - sejam físicas, emocionais, psíquicas ou energéticas - derivam, de uma forma ou de outra, de uma única doença: a ignorância de nossa natureza real, a Unidade (eles chamam esta ignorância de avidya e a Unidade de Brahman).
Toda a criação é uma grande web onde tudo é interagente, interdependente e holográfico. Realmente não estamos irremediavelmente presos a tempo e espaço e às três dimensões (não só as antigas tradições, mas a física quântica atual afirmam amplamente esta questão). Considerando nossa natureza una, saiba que não há nada fora de você que você precise obter que já não tenha. Está tudo dentro de você, todo o Universo. Você apenas precisa relembrar sua natureza original, que está pulsando em cada partícula do Universo, em cada pessoa, em cada ser de cada reino. Todo amor, paz e felicidade já estão dentro de você, sempre.
Você decididamente não é um pecador. Você não é uma pedra bruta que precisa ser lapidada. Você já é uma jóia pronta, maravilhosa, só que recoberta pela poeira desta ignorância primordial.
Passar a considerar estas verdades milenares em nossa vida cotidiana desenvolve nossa co-participação consciente no Universo nos seus mais diversos níveis de existência. 

9. Todo o Universo é consciente ! Cada pessoa, cada animal, cada planta, cada pedra, cada célula, cada átomo, cada galáxia... A consciência não é um privilégio do cérebro humano, que é apenas um dos veículos onde esta Consciência se expressa. Esta é a chamada onipresença e onisciência de Deus. Os índios têm formas sofisticadas de entrar em contato e interagir com a consciência subjacente à Natureza.
Viver considerando este fato torna tua vida muito mais respeitosa, consciente e responsável.

10. Quando a vida nos apresenta algum evento desconfortável, algum obstáculo ou algum confronto, normalmente o que é acionado em nosso corpo/mente é o “automático” lutar ou fugir. A adrenalina está sempre pronta para desencadear ação. Mas a verdade é que na maior parte das vezes não seria necessário lutar nem fugir, bastaria relaxar e observar, e a partir daí agir com consciência, ou então deixar os acontecimentos se desenrolarem naturalmente. Vamos investir mais nas endorfinas! Faça Yoga ou TaiChiChuan!
Desta forma, em todos os níveis e setores da nossa vida, podemos integrar firmeza e simultaneamente relaxamento – só firmeza gera rigidez e só relaxamento gera moleza !

11. Adote a pergunta : “O que é que eu tenho que aprender com isso?”. Todas (todas mesmo) as coisas que nos acontecem, vem para nos ensinar. A vida está sempre fazendo suas arrumações para que possamos aprender e evoluir. Por isso alguém já disse: “cuidado com o que você deseja pois pode acontecer!”. Nós costumamos achar que quando pedimos à Deus alguma virtude, Ele vai milagrosamente introduzir esta virtude em nossa mente e de repente ficamos pacientes, ou disciplinados, ou tolerantes. Provavelmente o que a vida fará é te proporcionar situações que vão te fazer desenvolver aquela virtude. Se você pediu paciência, provavelmente vai atrair pessoas que vão te fazer perdê-la, e aí é que estará o seu aprendizado.
Então, sempre que as pessoas ou as circunstâncias te trouxerem desconfortos ou incômodos, ao invés de se revoltar, se ofender ou se entristecer, ou ainda, achar que a culpa é do outro, pergunte à Vida o que esta situação está te obrigando a trabalhar, que virtudes e qualidades você está tendo que desenvolver para lidar com isso de forma harmônica e equilibrada.
Este procedimento com certeza vai aumentar enormemente a qualidade de nossa consciência e a conseqüente percepção dos movimentos da vida e do seu sentido.


12. Gastamos grande tempo mental ficando angustiados por um passado que não podemos mais mudar e/ou ficando ansiosos por um futuro que ainda não chegou. Outra grande parte, ainda, gastamos sonhando acordados, delirando os nossos sonhos e desejos. E aí duas coisas ocorrem: uma: sobra pouco tempo para a consciência do aqui-e-agora, o presente, que é onde efetivamente a vida acontece; duas: quando precisamos da mente para as coisas que ela foi feita para funcionar – a nossa vida humana diária – esta mente tem dificuldade em se concentrar, em estar presente, inteira, poderosa, centrada.
Concentrando-nos no presente desfrutamos mais da vida. A meditação é um ótimo treinamento para aprender a viver no presente, nos livrando das pré-ocupações e desenvolvendo uma mente verdadeiramente eficiente.

13. Infelizmente, ainda vivemos sob a ideologia do “ganha-perde”, ou seja, temos muito incutida em nossa cultura a idéia de que para se ganhar alguém precisa perder. É assim que se construiu, por exemplo, o sistema capitalista. Também é seguindo esta filosofia que está-se destruindo nosso planeta. E é desse ganha-perde que estão impregnadas as nossas relações (lembra da lei de Gérson?). Não só no sentido profissional e financeiro, mas também no emocional e no afetivo.
É urgente reimplantar-se o “ganha-ganha” nas relações interpessoais e nas relações do homem com a Natureza. Não existe nenhuma possibilidade de ganho real para nada nem ninguém, em nenhum setor da vida, se este ganho for obtido em detrimento da perda de alguém ou de alguma coisa. Na visão oriental, o Karma Yoga é a técnica que visa reeducar o homem e a sociedade para a verdadeira forma de ganhar.
Este procedimento simples pode transformar toda a perspectiva que temos em relação à vida, entendendo e vivendo na prática a grande lei universal de causa e efeito.

14. Atente para a sincronicidade. Uma escritura hindu diz : “Nenhuma folha de grama se mexe sem uma razão”. Nada é casual, mas tudo é intrinsecamente causal. Um outro Mestre disse : “nós falamos com Deus através da oração, e Ele nos fala através da sincronicidade”. O Dr. Jung percebeu que era esta qualidade da Criação que fazia com que as artes divinatórias (I Ching, Tarot, Runas, Búzios) funcionassem. Todo o Universo é Um, portanto tudo é interrelacionado. E a Lei do Karma é quem disciplina este interrelacionamento. Atente para os sinais! O tempo todo o Universo está interagindo com você!
Estar atento à sincronicidade desenvolve a intuição e a expansão da percepção do movimento consciente e multidimensional do Universo.

15. E finalmente – e sobretudo - “não faças aos outros o que não queres que te façam” ainda é a regra de ouro.
Viver integralmente assim te torna efetivamente consciente, pleno e equilibrado.



Ernani Fornari
Dharmendra





asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana






asana








asana







asana

 

sábado, 30 de junho de 2012

Para ler, pensar e refletir


"Exercite o perdão.
Cultive amor e compaixão.
Medite,controle os vicios e mantenha bons pensamentos e boas atitudes, mesmo que isso exija esforço.

sábado, 14 de abril de 2012

Perdoar


Aprenda a perdoar e ganhe mais saúde

Muitos estudiosos acreditam que a doença surge porque não perdoamos o outro e nem nos livramos da culpa por nossos erros. Assim, o rancor nos consome...

Publicado em 11/04/2012
Mel Aitak
Conteúdo do site ANAMARIA
Mulher no campo
Devemos esquecer quem nos causou dor e perdoar. Simples assim!
Foto: Getty Images

Se você se permitir, aprenda a perdoar e, assim, elimine todos os problemas que lhe causam dor. O escritor Jean-Yves Leloup, doutor em psicologia, filosofia e teologia, diz em seu livro O corpo e seus símbolos (Editora Vozes, 1998): "o perdão, quando bem compreendido, é um instrumento de cura".
Segundo o autor, devemos esquecer quem nos causou dor. Simples assim. Toda vez que revive um fato dolorido do passado, você se prende mais ainda àquela situação. Segundo Leloup, o perdão é a única condição para vivermos com saúde. Portanto, conheça suas limitações e saiba enxergar no outro suas possíveis imperfeições. Eis o caminho do perdão.
Aprenda uma técnica que vem dos kahunas, antigos moradores do Havaí. Eles a usavam para eliminar conflitos entre as tribos. Mas a técnica ficou conhecida com o terapeuta Hew Len, que curou um pavilhão de criminosos sem conhecê-los. Para isso, usou o Ho’oponopono (meditação havaiana do perdão) quando entendeu que devia repetir certas palavras para eliminar a dor que todos haviam causado às suas vítimas. Antes de julgar, permita-se testar. Depois, perceba o que acontece ao reparar que a dor da qual você foi vítima (ou algoz) vai sendo apagada...


Pratique a técnica havaiana do perdão!

Para praticar o Ho'oponopono (lê-se "opónopóno"), repita as frases abaixo sempre que sentir necessidade. Não é preciso mentalizar a pessoa que você quer perdoar

· Sinto muito

· Eu te amo
· Me perdoe
· Sou grato

*Mel Aitak é mestre em reiki, terapeuta holística e estudiosa dos temas ligados à espiritualidade
 

Mantras


Use mantras para aperfeiçoar a meditação

Entenda o que são os sons sagrados e saiba como usá-los no cotidiano


Conteúdo do site MDEMULHER
Mulher medita
Mantra pode aumentar o poder de concentração
Foto: Getty Images

Mantras são sons sagrados e, assim como a música tranquiliza e dá bem-estar à alma, os mantras sossegam a mente e geram clareza mental. Se a pessoa estiver tensa ou confusa, a repetição deles (seja uma palavra, como o conhecido mantra "Om", ou uma frase) cria espaço para a aquietação, segundo Krishna Das, cantor de mantras e autor de livros sobre o tema.

Com a repetição do mantra, a pessoa consegue entrar em um estado de concentração profunda que resultará em felicidade interior. Não há quantidade pré-estabelecida de repetições. Quanto mais praticar, melhor a pessoa se tornará capaz de lidar com as situações difíceis da vida de uma forma diferente.

Existem mantras para facilitar a concentração e meditação, para energizar, para adormecer ou despertar, para harmonizar os chakras ou desobstruir os canais energéticos.

"Muitas pessoas, ao cantar 'Om Namaha Shivaya' ou 'Radhe Govinda', não imaginam o significado dessas palavras. Mesmo assim, quando cantam, são capazes de sentir uma vibração ou emoção dentro delas", resume a instrutora de yoga e respiração da Fundação Arte de Viver, Adriana Ambrósio.  "Compreender o significado dos mantras não é tão importante quanto vivenciar a emoção que eles criam, uma vez que o som afeta positivamente nosso organismo", completa.

Para sentir os benefícios dos mantras não é necessário entoa-los o dia todo. "Cantá-los é como tomar um banho: você toma um só banho por dia para se sentir limpo o dia todo. Mas se tomar um outro banho a noite, você se sentirá revigorado novamente. Nos momentos em que você escuta ou canta os mantras é  como se tomasse um banho por dentro. Banhar-se com os mantras é necessário. Quando os cantamos, a mente fica clara e revigorada", explica Adriana.

"Quando você for meditar, primeiro cante o 'Om' e depois medite, isso o ajudará a se conectar consigo mesmo", ressalta a instrutora.

Praticar a meditação com mantras pode reduzir a ansiedade, segundo estudos. Mas tudo depende de disciplina e muita concentração. Siga um passo a passo para adotar a prática na sua vida cotidiana:

1. Procure sossego
Um local livre de interrupções é essencial. Vale seu quarto, uma praça, o parquinho do prédio. Para iniciantes, o latido de um cachorro pode tirar o foco da meditação. Com o tempo e a prática, vai ficar mais fácil ignorar esses ruídos.

2. Foque na respiração
Preste atenção no ar que entra e sai do seu corpo. É uma distração para o cérebro. Assim, ele foca no seu organismo, e não nos problemas da vida ou no que acontece ao redor.

3. Liberte os pensamentos
É impossível não pensar em nada - só de pensar nisso você já estará pensando em algo. Mas não se apegue a nenhum pensamento para que o cérebro não comece a trabalhar.

4. Tenha um mantra
Mais um truque para prender a atenção do cérebro. É um som repetido em alguns tipos de meditação. Cada pessoa tem seu mantra, que é definido por um instrutor.

5. Ajeite-se
Fique confortável. Pode ser do jeito que você achar mais cômodo, sentado ou deitado. O importante é evitar dor nas costas ou nas pernas, que poderia afetar a concentração.

6. Repita
Nos primeiros meses de prática, fique na posição por entre 5 e 10 minutos. Quando sentir que já ficou fácil se concentrar, aumente para até 30 minutos por dia. Assim, o cérebro vai se acostumar a focar no seu corpo.

*Com informações da ANAMARIAVIVA! e SUPERINTERESSANTE

Abra a janela e deixe novos ventos entrarem.

Abra a janela e deixe novos ventos entrarem.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O bem para você e sua casa.

INCENSO E SAL GROSSO REALMENTE FUNCIONAM?


Entenda o motivo pelo qual sal grosso e incenso são realmente eficientes para a purificação e o equilíbrio energético de pessoas, coisas e ambientes.

VERDADE OU MITO?

Na sabedoria popular, muito se fala sobre o poder dos incensos e do uso do sal grosso quando o assunto é energia dos ambientes. Mas será que esses simples elementos realmente são eficientes para harmonizar energeticamente tanto ambiente como pessoas?  Ou será que estamos diante de pura crença sem fundamento científico ou funciona?
Não é de hoje que ouvimos falar o quanto esses elementos – incenso e sal grosso – são empregados em muitos casos em que o objetivo em questão é tratar a energia sutil, das coisas, pessoas ou ambientes. Também já ouvimos falar da tão comentada proteção espiritual, e que esses dois elementos, novamente são aprovados pelo conhecimento popular. Seria isso verdade ou não passa de uma superstição tola?
A minha resposta: eles funcionam! São realmente eficientes no que tange ao trabalho de equilibrar energias sutis. Obviamente que se tentarmos comprovar esses benefícios pelo viés da ciência clássica moderna qual é, sobretudo, materialista (que tem como base ou fundamento apenas os elementos materiais) aí realmente fica difícil comprovarmos.  Mas a pergunta é: será que temos que ter comprovação científica de uma ciência que foi seqüestrada por uma visão meramente materialista? 
Por isso, selecionei neste texto um apanhado de informações que coletei ao longo da minha vida, desde as experiências que tive como químico (minha formação acadêmica), como também terapeuta e professor de terapias holísticas. Além disso, no estudo o qual dediquei grande parte do meu tempo para construir a Fitoenergética*, também encontrei muitas vezes no meio do caminho da pesquisa, as intrigantes atuações dos incensos e sal grosso.
Mesmo defendo a ideia que o tema abaixo foi amplamente estudado para que essa definição fosse apresentada, ainda sim sugiro que você mesmo teste e encontre as suas próprias conclusões.
Vamos a eles!

SAL GROSSO:

O sal grosso, quimicamente falando é NaCl, ou seja, a união do Cl (cloro) com o Na (sódio). No átomo de cloro temos um ânion (-) ou a partícula negativa. No átomo de sódio temos o cátion (+) ou a partícula positiva. Portanto, o positivo se liga ou negativo para formar uma molécula em equilíbrio.
Vemos essa visão na espiritualidade e nas filosofias orientais como o Taoismo, por exemplo, onde o Tao, que é o todo, o inefável, a presença maior, a grande mente universal, emana para o planeta Terra o Chi. Na visão oriental temos o Chi que tem seu corresponde ocidental conhecido como magnetismo, fluído vital ou energia vital simplesmente. Ao longo da história da humanidade e em diversos povos, o Chi também recebeu nomes como quinta essência, manas, prana, entre outros.
E o que isso tem haver com as propriedades do sal grosso?  Tudo...
Quando o sal entra em contato com a água, os átomos de Na(+)  e Cl(-) tendem a se separar para reagir com a água (H20). Nesse processo, naturalmente encontramos também a possibilidade de partículas negativas do ambiente, pessoa ou objeto, serem atraídas magneticamente para a parte do Na+ (sódio), ao passo que partículas carregadas positivamente serão atraídas para a parte do Cl - (cloro).
Engana-se quem pensa que energia positiva em excesso é algo bom, pois o correto e harmônico é o equilíbrio, e por isso, o sal além de absorver a negatividade em excesso, também absorve a parte positiva que estiver em desequilíbrio.
Colocar um copo com água + sal grosso nos principais ambientes de uma promoverá o ajuste da energia desses locais, entretanto é bom que se saiba que este copo precisa ser trocado.
Troca-se o copo com água e sal grosso sempre que este começar apresentar formação de uma casca de sal em sua borda. Nesse momento, joga-se o conteúdo do copo em esgoto normal, lava-se bem o copo e repete-se o processo.
Mantenha os copos com água e sal grosso nos ambientes que quer harmonizar e você promoverá o efeito filtro de ambiente, o que nos ajuda muito na rotina diária, para mantermos a qualidade da energia de nossos lares.
Use preferencialmente copos de vidro transparente, sempre preenchendo com água mineral ¾ do volume, ou seja,  deixe o copo com uma margem vazia.
Em um copo de 300 mL use de duas a três colheres de sal.
Você pode colocar no ambiente que desejar, entretanto se você escolher apenas os principais do local onde deseja “filtrar a energia”, você já terá um grande ganho. Deixe de lado a superstição, sal grosso com água realmente funciona, entretanto se quando você for preparar os copos em sua casa, além de sal e água você colocar uma intenção positiva, amorosa e confiante, certamente os resultados serão potencializados.

INCENSOS:

O poder do incenso é transcendental porque reúne múltiplos elementos que são muito eficientes na harmonização de um ambiente.   Quando a vareta é queimada, múltiplos elementos entram em ação e atuam no ambiente, pessoa ou objeto que se deseja. Veja os principais elementos benéficos oferecidos na queima do incenso:

ELEMENTO FOGO: 

Quando o incenso queima, a força do elemento fogo atua no ambiente contribuindo para a transmutação das energias desequilibradas do local.  O elemento fogo tem a força de limpar as saturações atmosféricas condensadas já em níveis materiais. Sempre que os fluídos densos psíquicos já estão muito condensados, os grupos de elementais do fogo agem purificando as forças e devolvendo o reequilíbrio.

ELEMENTO AR E ÉTER: 

Na queima do incenso, a fumaça liberada ao ar tem a propriedade de transitar entre a dimensão física (fumaça) e a dimensão extrafísica ( éter quinto elemento, que é o veículo pelo qual o ar transita). Essa capacidade permite que as propriedades do fogo, das resinas, óleos essenciais e ervas do incenso, atuem simultaneamente nas duas dimensões citadas, portanto trata-se de um agente de conexão, de transição ou comunicação.

ERVAS, RESINAS E ÓLEOS NATURAIS:

 as propriedades específicas desses elementos usados individualmente ou combinados oferecem as forças de suas essências energéticas altamente benéficas. Além disso, quando queimadas, emanam ao ambiente a energia potencial retida em suas estruturas durante todo o processo de surgimento na natureza, desde os primeiros segundos de vida no planeta Terra, quando surgiram como sementes ou semelhantes, até o momento de uso.


A FORMA CORRETA DE UTILIZAR UM INCENSO:

-Escolha o loca do ambiente no qual deseja acender um incenso, que deve ser de boa qualidade. Evite incensos indianos que tenham mão de obra escrava envolvida

-Providencie um incensário que dê segurança ao ritual, para não permitir que partes ainda incandescente possam gerar um dano indesejável.

-Segure o incenso entre as suas duas mãos(ainda apagado). Coloque as mãos em prece na frente da testa com o incenso entre elas. Eleve seu pensamento ao alto colocando uma intenção positiva para a queima do incenso e respire fundo várias vezes. A intenção é a chave de tudo, faça com bastante concentração.

-Ascenda o incenso e agradeça as bênçãos recebidas.

-Você poderá deixar o incenso fixo em algum lugar da casa, mas poderá também mover-se no interior do ambiente, levando consigo incenso aceso liberando sua fumaça e suas propriedades balsâmicas.

-Para aplicar as energias do incenso em uma pessoa, transite com o incenso aceso a distância de meio metro dela, e deixe que suavemente a fumaça obtida toque o todo o seu corpo. De preferência solicite que a pessoa a ser incensada fique de pé com os braços bem abertos no formato de cruz. Ande ao redor da pessoa suavemente, segurando o incenso, liberando a fumaça e mantendo uma forte intenção positiva.

-Essas práticas promovem purificações muito intensas tanto em lares, ambientes e objetos quanto em pessoas, principalmente de energias mentais e emocionais desarmônicas.

-Existem muitos incensos de qualidade no Brasil, poderia citar os nomes e marcas, mas prefiro dizer aquilo que acredito muito, escolha com a sua intuição e use com a sua intenção, esse é e sempre foi o segredo do bom uso.

A AÇÃO NO CAMPO ESPIRITUAL:

Uma vez que tanto sal grosso como incenso equilibram os aspectos psíquicos e emocionais de um ambiente, naturalmente a ressonância com a mesma freqüência espiritual se estabelecerá. Em outras palavras, quando o psiquismo for equilibrado, o campo espiritual também será.  É simples assim, mas depende sempre da atitude coerente de cada um de nós!

*Fitoenergética
É um sistema natural de cura, equilíbrio e elevação da consciência no qual através da energia das plantas (fitoenergia), ajuda os seres vivos no equilíbrio das emoções e pensamentos pois quando estão em desequilíbrio, são os reais causadores das doenças.  É uma terapia que proporciona a elevação da consciência e do o discernimento, estimulando profundos sentimentos antiegoísmo.
A Fitoenergética atua com a concepção básica de que os vegetais possuem um campo de energia com a capacidade de gerar influência sobre a anatomia sutil dos seres vivos.  Busca compreender como essa influência pode atuar positivamente no campo energético de cada ser vivo, agindo nas causas geradoras de doenças.
O livro Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma é um livro inédito no mundo. Sucesso editorial desde 2005,  ensina as pessoas como usar esse conhecimento oculto das energias contidas nas plantas, de uma forma absolutamente eficiente. CONHEÇA O LIVRO.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Orai e Vigiai


Este trecho de carta do Prof. Hermógenes a um de seus alunos nos traz, de forma direta, a aplicação do ensinamento de Jesus, Orai e Vigiai, com especial ênfase em Vigiai. O evitar da autocompaixão, como apresentado no texto, nos traz o alerta da meditação e observação dos padrões mentais negativos que ocupam nosso espaço mental. A disciplina de evitá-los e substituí-los por outros padrões, em que a vida, a positividade e a fé são valorizados repercute em poder de ação e curativo. A conexão desta busca e movimento, com a fé cristã, alinha a carta do Prof. Hermógenes aos ensinamentos da terapia transpessoal, integral e da filosofia perene.



Você tem motivos para ter muita pena de si mesmo. Não se pode negar. Desde sua origem, tem sido um desafiado pela adversidade. Mas ter motivos não significa que seja conveniente alimentar autocompaixão.
Igual ao ressentimento, a autocompaixão arruína a alma. Agrava o mal que já existe e engendra outros. Fique alerta contra qualquer tendência a autocondoer-se. Reaja, tendo compreensão contra esta sua tendência de querer que lhe confiram a medalha de campeão de sofrimento. Acostume-se a evitar que tenham "peninha" de você, principalmente se for você aquele que se compadece. Pelo que tenho constatado, posso pensar que uma enorme parte de seu drama está correndo por conta do devastador sentimento de autocomiseração, que ressalta de suas cartas queixosas. Não é verdade que você diz para si mesmo - "coitado de mim, que sofri tais e tais problemas...!"? Não estou certo? Não é verdade que você gasta tempo a comparar-se mentalmente com outros rapazes que são atletas vitoriosos com as moças...?
Se não faz assim é porque é anormal. Se faz é normal. Mas chegou a hora de deixar esta normalidade estúpida, que só lhe tem feito mal.
Convido-o para ver as coisas de frente, mas sem cometer o erro de botar fermento na dor, sem invejar quem parece estar sem dor, sem recriminar o destino, sem rancor para a vida, sem ódio para aqueles que parecem responsáveis pelo que você sofre. Entende o que quero dizer? Quero você de mente pura, mente capaz de ter clareza e poder de ver.
Quando quero que assim seja, estou convidando você para uma faixa de anormalidade, diferente da normalidade insana, isto é, da vulgaridade, da mesmificada massa de pessoas medíocres, adormecidas e incapazes de perceber as coisas como as coisas são. Quero você numa abençoada faixa de sabedoria, numa corajosa anormalidade, que os homens normais não compreendem e da qual talvez nunca ouviram falar. Convido-o para manter-se tranquilo, para serenamente situar-se, e poder ver em cada adversidade um estímulo para amadurecer. Que suas dores sejam o que as esporar são para um cavalo de montaria. o estímulo para avançar, para romper caminho, para cehgar seguro à meta.
Resumindo e continuando a falar franco, amigo, acho que sua mente tem sido mais eficiente em atrmentá-o do que todos os agentes de seu destino, de seu karma. O ódio a.. .tem lhe prejudicado mais do que a ele. Sua auto-piedade o tem enfraquecido mais do que qualquer doença, podendo mesmo ser a causa principal de sua enfermidade.
Analise sua mente. Procure percebe o mal que, assim desgovernada, lhe tem feito. Limpe-a de seus nefastos conteúdos (ódio, dúvida, autocompaixão). Vigie sua mente. Não deixe sua imaginação assim, desastrosamente solta.Não se entregue inconscientemente à amargura autocultivada. Não permita a entrada de pensamentos deprimentes. Não se esqueça de que todas as vidas são tremendos dramas, e, assim, desista de ser campeão. Renuncie ao pódio de padecentes.
Não seja ingrato com Deus. Quantas coisas positivas em sua existência! Quanta coisa boa em você! A insisTência em ver apenas o negativo impede ver o que há de positivo, isto é, aquilo que o faria perder o "emprego de coitadinho", que você, tolamente, vem mantendo. Se continua insistindo em arrolar somente os aspectos sombrios de seu destino e em esquecer os luminosos tenha paciência filho - não haverá salvação para você, pois você não quer mesmo ser salvo.
Seja vigilante! "Orai e vigiai", recomenda o Cristo.

Prof. Hermógenes, Yoga Paz Com a Vida, p.145

sábado, 7 de janeiro de 2012

Dicas para viver bem com sua casa.


A felicidade é, de acordo com os grandes filósofos do passado, o objetivo de todo ser humano. Nascemos para ser felizes, mas muitas vezes confundimos a felicidade, que é um estado de ser, com a euforia, que é apenas uma emoção passageira. E ao tentarmos ser sempre eufóricos, nos desiludimos achando que quem é feliz não possui problemas. Abandonemos esta ideia quase infantil e aceitemos a vida como ela se apresenta para nós e já estamos no caminho certo da felicidade.
E onde mora a felicidade? Em muitos lugares, e um deles é a sua casa. A casa, além de um objeto funcional, que nos dá abrigo e nos protege das intempéries da natureza, também é um símbolo muito poderoso. Ela simboliza o útero no qual fomos gerados e tivemos bons momentos de plenitude e felicidade. Simboliza a segurança que nossos pais nos deram quando criança, a referencia de nossa individualidade, o ponto para o qual sempre retornamos. Quando estamos a muitos dias viajando e voltamos para casa temos uma sensação de reencontro, não é mesmo? A casa simboliza a família, a união.
Existe um jeito de fazer a casa ser uma morada mais acolhedora da felicidade? Sim, existe uma ciência chamada Geobiologia e que seu objetivo é fazer com que todos os elementos de uma casa, ou escritório, estejam equilibrados e otimizados para fazer com que as pessoas se sintam as mais saudáveis e felizes possíveis em seu interior. E saúde é um componente importante da felicidade, não é?
E aqui vão quatro dicas da Geobiologia que você pode usar em seus espaços para torná-los mais saudáveis e você mais feliz:

INSPIRE-SE!

A casa é um ser vivo e como todos necessita respirar. Abra as janelas da casa e inspire um ar novo. A renovação do ar é fundamental para que ele esteja em ótimas condições e certamente você se sentirá melhor com novos ares. Um momento particularmente interessante de abrir as janelas da casa ou do escritório é logo de manhãzinha, antes da poluição dos carros começar a aumentar. Outro momento é logo depois das chuvas, pois o ar está mais limpo e mais carregado de partículas boas, os chamados íons negativos.

ILUMINE-SE!

Todos nós precisamos de luz. Luz física e espiritual. E porque a casa seria diferente? Ela não é e também precisa da luz do sol. Se não tem jeito, coloque lâmpadas quentes, eu sei que elas podem ser menos ecológicas dependendo do ponto de vista. Mas procure fazer um equilíbrio entre lâmpadas quentes e frias de modo que seu bolso e a natureza continuem economizando, mas que você receba luz de qualidade em sua casa ou escritório.

ALEGRE-SE!

Não é maravilhoso nos vestirmos bem, irmos a um show e nos divertirmos bastante? Pois é, você já sabe, a casa também gosta! Vista-a com flores, muitas flores, e uma decoração diferente aqui outra ali. Coloque música para as paredes e os móveis. Está sozinho? Não tem problema. Pode ser que você se ache um pouco louco fazendo isso, mas de louco todos temos um pouco, então melhor ser doidinho feliz que triste. Dê uma festa em casa. Muitas pessoas que possuem apartamentos pequenos têm vergonha de dar uma festa. As pessoas não vão à festa por causa da sua casa, elas vão lá por sua causa. E a casa agradece!

DESCANSE!

Hora de relaxar, descansar e dormir um pouco. Isso é muito importante para todos nós e é claro que a casa também quer relaxar e ter suas energias renovadas!
Mas como ela vai fazer isso se você deixa todos os equipamentos eletrônicos ligados na tomada, celular debaixo do travesseiro para se despertar ou para receber ligações noturnas, modem wireless ligado conectando você à internet até na hora dos sonhos?
A poluição eletromagnética é a grande síndrome do século XXI, e para nos proteger dela devemos usar a casa como aliado e escudo, e não como campo de batalha.
Além disso, não se esqueça de fechar o blackout da janela e fechar as portas para diminuir os barulhos. Você e a casa ficarão muito mais felizes dormindo em quantidade e com qualidade.
E o melhor fica para o fim. Lembre-se que você mexe na casa e ela mexe em você. Você cuida da casa como se fosse você e ela irá auxiliá-lo nos seus dias difíceis. E sabiamente entendendo que dias difíceis e alegres são ambos importantes para a plenitude, você terá transformado sua casa em uma das melhores aliadas em seu caminho em busca da felicidade
Este texto pertence a 
Geobiólogo, autor do projeto Geosounds - Melodias para a Terra, fundador e presidente do Instituto Brasileiro de Geobiologia (IBG)